Livro Lançado pelo Senado é Financiado com Verba Pública e Denigre Bolsonaro

Livro Lançado pelo Senado é Financiado com Verba Pública e Denigre Bolsonaro
O Senado Federal recentemente lançou um livro que lança duras críticas ao ex-presidente Jair Bolsonaro, descrevendo-o como "fascista" e o "pior presidente do Brasil de todos os tempos".

Chamado de "100 Vozes pela Democracia", o título da obra, irônicamente, destaca a diversidade de opiniões presentes na compilação. Custando R$ 39,5 mil, a publicação foi financiada com dinheiro público para a impressão de mil exemplares. Três cópias físicas estão disponíveis para consulta na biblioteca pública, enquanto a versão digital está acessível no site da biblioteca do Senado.

O livro reúne artigos de opinião de várias personalidades de esquerda, incluindo o ex-presidente Lula da Silva, o político Geraldo Alckmin e o ministro do STF, Flávio Dino. Textos de seis ministros do governo Lula e de vários parlamentares também estão incluídos.

Gleisi Hoffmann, por exemplo, critica o governo Bolsonaro por seu "flerte com o fascismo" e sua suposta promoção de uma "agenda antipopular, neoliberal, entreguista e destrutiva de vidas e direitos".

A afirmação de que Bolsonaro é "o pior presidente do Brasil de todos os tempos" aparece em um artigo assinado pela senadora Eliziane Gama (PSD-MA).

A compilação dos artigos foi organizada em 2022 por Fernando Guimarães Rodrigues, líder da entidade "Direitos Já! Fórum pela Democracia", fundada em 2019 para reunir críticos e opositores de Jair Bolsonaro.

Na noite de lançamento, em outubro de 2023, Fernando destacou a necessidade de autocrítica para evitar a repetição de erros que levaram à ascensão da extrema-direita. Ele afirmou que "a ascensão da extrema-direita não se deu por culpa de A, B ou C. Precisamos ter a capacidade de assumir essa autocrítica para que isso não se repita em nosso país".

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder do governo no Congresso e presidente do Conselho Editorial do Senado, marcou presença no lançamento e enfatizou a importância da publicação, destacando que "todos os espectros só têm espaço na democracia".

Dentro do livro, o texto de Lula também critica Bolsonaro, lembrando sua "irresponsabilidade criminosa". Marina Silva menciona o ex-presidente como o "capitão indisciplinado do Exército e sua nova tropa realizam seu plano de destruir a República".

O Senado afirmou que o livro está de acordo com as diretrizes do Conselho Editorial e foi escrito por "figuras de diversos segmentos da sociedade civil, responsáveis pelos textos publicados".

Este lançamento levanta preocupações sobre o uso de recursos públicos para promover uma agenda política específica e denigrir uma figura pública, apontando mais uma vez para uma ação questionável realizada com dinheiro público.
Voltar para o blog

Deixe um comentário

1 de 4